Desenvolva seu senso criativo - Parte 1

Oi pessoal ,

Imagino que alguma coisa está te inspirando a sair  da famosa zona de conforto e vir aqui, procurar alguma coisa que te acrescente ou que te faça sentir que sabe o que está fazendo.

 Isso não significa necessariamente que seja algo bom, vou explicar ao longo do texto, ok? Independente do que seja, você é muito bem vindo (a), e esse espaço é criado exatamente pra isso,  hoje vou escrever sobre criar.

Muito repetitivo falar que fizemos a era tecnológica? Bom, independente da resposta chegaremos provavelmente num ponto em comum de que hoje o limiar entre a vida online e offline é praticamente inexistente. Os dois precisam caminhar juntos, principalmente se você trabalhar com isso de alguma forma. Acontece que o mal uso da internet está aparando demais a nossa mente, o altíssimo giro de conteúdo e o bombardeio de publipost’s extremamente convincentes estão criando padrões pré definidos do nosso comportamento até a forma que a gente faz busca no google. E não que isso seja ruim, de forma alguma, o mal uso dele sim.

É interessante você, aí do outro lado, começar a se questionar o quanto tem de você nas suas atividades e o quanto tem de reprodução de conteúdo. Por sermos seres completamente diferentes e conseguirmos enxergar a mesma circunstancia sob outras perspectivas temos o dom natural de sermos únicos, logo extraordinários. Independente dos padrões pré estabelecidos.

Existem alguns gatilhos para isso. Gatilhos são formas de expandirmos a nossa consciência mediante a alguma situação, o foco aqui é criar. Então pode ser em qualquer área de trabalho, ou qualquer ambiente físico ou situação, não há regras. Pra não parecer confuso, vou te deixar alguns questionamentos aqui:

- O que te inspira? (Quando você imagina o que quer pra sua vida, o que você enxerga? Seja especifico, pense em cores, em objetos, em locais, em roupas, seja detalhista.)

- Qual a situação que te faz refletir mais? (extrema felicidade, tristeza, dentro do carro, em uma praia, em uma montanha, aonde?)

- Dentro da sua realidade e da sua rotina, em qual momento você arrumou tempo para esvaziar a sua mente?

Sabe o que acontece com nós, seres humanos, geradores naturais de conteúdo? Dispensamos em meio ao nosso caos as diversas possibilidades que temos diariamente de nos reinventarmos. Imagine como se fossemos uma xícara de chá, com o liquido praticamente transbordando. Se não encontrarmos um tempo e um jeito de ao menos dispensarmos essa parte, seja bebendo ou jogando fora, todo o liquido que vem após, é automaticamente inútil. Desse jeito funciona a nossa cabeça.

     Dentro da rotina turbulenta, do caos, do stress e de tudo que te limita, existe uma cabeça extraordinária implorando pra que você a deixe desenvolver e  mostrar que todas as respostas sempre estiveram aí.

      Não é sobre ter tempo, é sobre aprender a priorizar. As grandes ideias saem de mentes vazias, não adianta seguir a regra do excesso e ficar se superlotando de cursos e conteúdos reproduzidos por você e criados por alguém que fez o oposto.

       Busque a situação que te dá paz de espirito, para pensar, para expandir, respirar fundo e sentir o que vem. Mentalize seu negócio, suas estruturas, ao som de alguém que te permita pensar sem te impor nada. Solte seu celular, computador, pegue uma folha em branco e anote somente o que vier da sua cabeça e dos seus pensamentos.

     Quando você sentar um pouco, e parar para respirar, não pense que será fácil. Todos os seus problemas virão a tona em forma de pensamento, você  não está acostumado  a fazer isso, lembra? Então tenha paciência com você mesmo. Os pensamentos vão vir, e irão embora. E a situação real que você deseja desenvolver seu lado criativo, vai aparecer, você observa ela sem se identificar com nada, apenas observa e dê asas a sua imaginação.

A maior arma que o homem pode ter, é um lápis e um papel em branco na mão.

Com amor, Isa